Soft Skills merecem destaque em uma era em que as pessoas estão vivendo mais e com mais saúde, os trabalhadores mais velhos não apenas podem, mas frequentemente escolhem, permanecer na força de trabalho por mais tempo ou retornar ao trabalho após a aposentadoria.

Está surgindo um consenso de que, se quisermos nos beneficiar do valor que os trabalhadores mais velhos podem agregar à força de trabalho, as empresas precisam ajustar suas práticas de contratação e repensar seu compromisso com coisas como horários flexíveis e programas de treinamento. Da mesma forma, nosso conceito de ensino precisará evoluir, para colocar ainda mais ênfase na aprendizagem ao longo da vida e em salas de aula multigeracionais .

Mas para fazer isso, nós os mais velhos em primeiro lugar e o mercado de trabalho, precisaremos repensar os tipos de habilidades de que esses trabalhadores precisam se quiserem permanecer “adequados para o propósito” de participar ativamente da força de trabalho em constante mudança.

soft skills para idosos

Menos habilidades tecnológicas e mais empatia

Temos que virar a chave agora, pois precisamos abandonar a ideia tradicional de uma vida organizada em três fases, composta de educação, carreira e aposentadoria. Em vez disso, precisamos abraçar um curso de vida de várias fases, onde as pessoas continuam aprendendo ao longo da vida, fazem muitas pausas e entram e saem de empregos e carreiras.

Para fazer esse novo modelo de vida adulta funcionar de forma eficaz, valorizar o conhecimento específico do setor provavelmente será cada vez menos útil. Habilidades tecnológicas certamente fazem parte da equação. Mas a importância de coisas como empatia, comunicação e habilidades analíticas, vão equipar as pessoas para uma carreira mais autônoma e duradoura.

Na era da Inteligência Artificial as habilidades mais valiosas num futuro próximo serão aquelas que as máquinas ainda não podem replicar facilmente, como criatividade, pensamento crítico, inteligência emocional, adaptabilidade e colaboração.

Embora atenção considerável esteja sendo dada agora a como incorporar essas habilidades do século 21 aos currículos educacionais para crianças, é hora de pensar sobre como incluí-las nos adultos, especialmente aqueles que já estão na casa dos 50 anos e podem não ter adquirido essas habilidades em suas carreiras anteriores.

Aprendizagem Experiencial

A aprendizagem experiencial pode ser uma ferramenta útil, pois oferece a “destruição de rotina” para que os adultos possam aprender novas habilidades que podem abrir portas em uma nova carreira profissional e serem levadas adiante por toda a vida.

Um bom caminho é ficar próximo do ecossistema de empreendedorismo, onde acontecem experimentos em que os adultos mais velhos têm a chance de adquirir novas habilidades, aprofundar suas redes enquanto são orientados e em alguns casos serem remunerados enquanto aprendem.

soft skills para idosos

Criar oportunidades para participação deste jogo

Manter se ativo nesse novo mercado de trabalho pressupõem um certo nível de segurança econômica e escolaridade para ter uma participação viável. É menos claro como os trabalhadores mais velhos com menos recursos podem voltar para a sala de aula ou fazer um estágio não remunerado.
Não vai ser fácil. Mas uma coisa é certa: esse pool de trabalhadores só vai crescer. Portanto, é hora de sermos criativos em como nos preparamos para uma vida de trabalho longa e produtiva.

Hoje em dia, porém, empresas ao redor do mundo inteiro têm reconhecido a importância de, não apenas qualidades técnicas, mas, também, aquelas ligadas ao espectro subjetivo do indivíduo.

Soft Skills são habilidades desenvolvidas por uma pessoa que dizem respeito ao seu comportamento social e à forma com que se expressa emocionalmente. Elas geralmente aparecem no formato de características que remetem à personalidade, como empatia, comunicação, organização e flexibilidade.

Em resumo, Soft Skills são todas as habilidades que não se encontram dentro de uma amplitude simplesmente técnica, mas estão relacionadas à maneira com que nos comunicamos, nos expressamos e colaboramos com o outro. São capacidades subjetivas, que atuam no espectro comportamental e social do ser humano e não dependem de diplomas ou certificados.

Sendo assim Soft Skills, são capacidades absorvidas a partir de experiências pessoais na maioria das vezes ao longo do tempo. Esse fator garante que os seniores serão incluídos aos poucos, nesse novo cenário de trabalho, à medida que as pessoas e empresas forem percebendo que eles possuem uma inteligência emocional e social acima da média e de que não há barreiras para conectá-los à tecnologia.

Categorias: Ser VoVs

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll Up