Dia 01 de agosto é comemorado o dia nacional do selo.

O motivo desta comemoração se deve a publicação do primeiro selo no Brasil, em 1843, a pequena estampilha que resolveu o problema mundial das correspondências.

O Brasil lançou seu primeiro selo em 1843, a famosa série Olho-de-boi e foi o segundo país do mundo a emitir selos. Seguiram-se os selos conhecidos como Inclinados (1844), Olhos-de-cabra (1850) e os Olhos-de-gato (1854).

A partir de uma ideia de D. Pedro II, o fato colocou o Brasil como o segundo país do mundo a trabalhar com a emissão de selos postais, perdendo apenas para a Inglaterra, a pioneira na criação, que emitiu o “Penny Black” em 1840.

O Brasil foi o primeiro país a lançar um modelo de selo postal em braile, a escrita dos deficientes visuais, que é feita através de pontos em alto relevo.

Em 1989 o Brasil lançou um modelo tridimensional, conhecido como holográfico, tornando-se o segundo país a distribuir um exemplar mais criativo e melhor elaborado.

Os selos brasileiros já conquistaram vários prêmios internacionais, como o São Gabriel (padroeiro dos correios), e de melhor selo estrangeiro, o Piracema, no ano de 2006.

A criação de novos e diferentes modelos fez com que as pessoas tivessem interesse em colecionar os selos postais, os filatelistas. Além dos modelos atuais, os filatelistas buscam os modelos mais raros, que já saíram de circulação, mas que existem como documento histórico do país, uma vez que os selos retratam fatos importantes de uma nação. Além dos fatos, podem apresentar elementos da natureza, como fauna e flora, modalidades esportivas e suas principais conquistas, homenagear pessoas admiráveis para a cultura do país, atletas, artistas, cientistas e muitos outros.

Na origem dos correios, quem pagava a correspondência não era quem mandava, era quem recebia. Como era um custo elevado para a época, as pessoas combinavam entre elas símbolos, pois quando o carteiro chegava para entregar, o destinatário podia receber ou não receber a carta. Isso gerou a incidência muito grande de serviços prestados pelos correios sem remuneração. Por volta de 1837, com a reforma postal na Inglaterra, decidiu-se que a carta passaria a ser paga pelo remetente. E o selo, surge então como um comprovante de que o serviço foi pago.Para que esse comprovante não fosse reutilizado, surgiu então o carimbo, de anulação do selo, de forma que esse serviço fosse prestado uma única vez.

Atualmente os selos são bem menos usados, pois as pessoas se comunicam através dos meios virtuais. Com isso, a comercialização do produto teve considerável queda, mas seus exemplares podem ser encontrados nas agências dos correios, onde ficam expostos para a população.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll Up